domingo, 22 de outubro de 2017

#verdooutrolado

Nas voltas que às vezes dou por aí
E quando te vejo deste recanto onde estou
Descanso por breves e lúcidos  momentos
Iluminando com intensidade a inconsciência
Que irá dar fluidez à formação da minha consciência.

Invadem-me então uns invulgares sentimentos
Fazendo com que o ver seja mais que observar,
Pois há um pulsar ali presente e que se sente
Formatado por diferentes e cíclicas gerações
Que permitem a abrangência das respostas sociais.

Quando a chegada a senior é a regra 
Quantas vezes confirmada por fatídicas exceções,
Transportam-se nas bagagens desta vida,
Que é bonita mas tão dura nas ausências, abandono e solidão,
Uma imensa carga de lacunas nos sofridos corações.

Resta agora a porta aberta por alguém que em equipa
Procura amenizar o lado invisível de quem sofre pela calada
Procurando na maior fragilidade das respostas
Dignificar todas as crenças e os valores 
De uma forma dedicada, honrada e abnegada.


(Mariavaicomasoutras)

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

#oporco

Naquela vara passeando em conjunto
Soltou em surdina breves grunhidos,
Ao saber que o seu futuro passa pelos enchidos
Ou quem sabe, por um naco de presunto.

"São sortes"- pensou baixinho
Realmente aquilo de ser suíno
Não encontra outro destino
Na permanente procura que faz com o seu focinho.

Quando encontra alguma pérola
Não a guarda na sacola
Pois destrói-a com os dentes.

Faz-me lembrar seres humanos
Demônios com cara de anjos
Que a legislar esmifram as gentes!


(Mariavaicomasoutras)

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

#conversaparalamentar

Miau!
Dizes-me tu ternurento
Enquanto ouço as notícias
De um país já em pranto!
Miau!
Repetes tu, que chantagem
Enquanto continuo a ouvir
Que há políticos sem bagagem!
Miau!
Repetes de forma arisca
Enquanto ecoa a habilidosa verborreia
Saída de uma boca sinistra!
Miau!
Repetes tu mais contente
Enquanto absorvo o pensar
De quem na república é o presidente!

Miau! Dizes-me tu!
Miau! Dizemos agora os dois
Que a miar nos entendemos
Neste diálogo em que os bois
Têm os nomes que sabemos!


(Mariavaicomasoutras)
#mordeduracanina

Rodeados de amigos ditos fiéis
Na nossa Terra peregrinamos
Entre enganos e desenganos
Quantas vezes indigeríveis!

Mas é nas curvas da estrada
Ou nas sombras do caminho
Que agigantam o focinho
E nos mostram a vil raiva instalada.

Por entre rosnas, uivos e latidos
Ou um ladrar que nos fere os ouvidos
Ficamos com a mente embaraçada!

No disfarce esses amigos se vestem
Mas sorrateiramente investem
E nos mordem pela calada!


(Mariavaicomasoutras)

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

#orato

Anda tudo atrás de ti
Roedor aventureiro
Porque não dizes aqui
Onde tens o mealheiro?

Eu não quero esses trocados
Que mostras a toda a gente
Quero os milhões endossados
Pra fora do continente!

Sei que por seres esguio
Vives à tua maneira...
Vai ser um bom desafio
Prenderem-te na ratoeira!


(Mariavaicomasoutras)

sábado, 14 de outubro de 2017

#raposa

És tão astuta e matreira
Nas tuas lides mundanas
Que quase sempre m'enganas
Com a tua brincadeira.

Sempre de algo sedenta
Com o focinho empinado
Procuras um descuidado
Porque a fome é violenta.

Quando àquilo que desejas
Infelizmente não chegas
Arranjas desculpas reles.

Tal e qual como os que dizem
E esquecidos se contradizem
"Não fui eu que votei neles!"


(Mariavaicomasoutras)

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

#esteaquidizqueoé

Mas que grande e alegre conversa
Entre os burros acontece
Que por vezes até parece
Que o "hi-ho"é uma lingua perversa.

Dizem uns tais estudiosos
Que o zurrar é uma arte
Que conduz pra toda a parte
O pensar aos mais vaidosos!

E pelo falar desses malditos
Convictos e pouco eruditos
A nossa cabeça esvai-se.

Só consegue entendê-lo
Quem lhe passa a mão pelo pêlo
E se arrisca a um bom coice.


(Mariavaicomasoutras)