domingo, 10 de dezembro de 2017

#segredosdavida

Reboliço maldito
Que sempre acordas
Meus olhos fechados
Sem hora marcada.
Certo é que respondo
Às diversas chamadas
De boca calada.
O irreal acontece
Pouco tempo depois
E faz parte da história.
Deste modo recordo
Por vontade própria
Que é com tais factos
Que se tece o passado
Num doce amanhecer
De honra e glória!


(Mariavaicomasoutras)

sábado, 9 de dezembro de 2017

#narcisismo

Se for pássaro algum dia
Não sei se quero voar
Com a ânsia de encontrar
Nas ilusões alegria!

Por outro lado asas ter
Mas acabar prisioneiro
Num imenso cativeiro
É uma vida a esquecer.

Com este ponto de vista
Talvez seja um Narcisista
Que se acomoda apenas.

Contudo o que mais certo sei
É que pássaro não serei
Apesar de já ter penas!


(Mariavaicomasoutras)

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

#numsopro

Num sopro...Apaga-se a vela
Deixando a nu
Um pavio queimado!

Num sopro...Esvoaçam as folhas
Deixando sem graça
A árvore ao frio!

Num sopro...Projeta-se areia
Deixando a chorar
O frágil do olho!

Num sopro...Reacende-se a chama
Deixando que arda
De brasa até cinza!

Num sopro...Se perde um amigo
Deixando em nós
A maior solidão!

Num sopro...Se perde uma vida
Deixando a pairar
O gosto em ferida!

De que serve um sopro
Na vida da gente?
Pelo que se sente...
Ninguém fica contente!


(Mariavaicomasoutras)

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

#adeusÉprecisotersorte

Quando fecundamos na mente de alguém
Não nos ocorre porventura a ideia
Que na vida é sempre preciso ter uma dose de sorte
Já que algum dia a polémica estética passeia
Sempre ao som de uma falsa modernidade
E de imediato é clamada a nossa inditosa morte.

Arrasam-me por ser demasiado alto
Desenquadrando a beleza a muita gente.
Marginalmente a um rio e Jardim criado
Acabo maltratado  impunemente
Pressentindo que meu fim terá chegado.

Só partirei quando de acolá me virem partir
Até lá fico de olhos e boca aberta a sorrir
Num silêncio somente abafado pela Sra d'Agonia.

Poucos verterão as suas lágrimas por mim
Saudades comigo apenas levo as do Jardim
E o desencanto de uma Princesa do Lima perdidamente vazia.


(Mariavaicomasoutras)

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

#razão

Entre duas ideias
Há palavras meias
Que ditas na hora
Da boca pra fora
Teimosas se afirmam
E se reafirmam.

Brutais barricadas
Nos dois lados montadas
Onde alguém fica ferido
Até mesmo perdido
Entre o coração
E a sua razão.

Que raio de sina
Onde tudo termina
Com um dedo em riste
Ou então se desiste
Com um grande chavão:
-Tens toda a razão!


Y(Mariavaicomasoutras)

sábado, 2 de dezembro de 2017

#escuro

Está escuro! É o temor!

Agarro os sons 
Em diferentes tons.
Defino o presente
Com esforço da mente.
Minuto a minuto
Conto e reconto
Com muita atenção
Todos os ciclos da respiração.

Está escuro! É o temor!

Um beijo que é dado
Sem estar acordado.
Uma longa carícia
Sem ser com malícia.
Desfaz-se em suspiro
Mal eu me retiro.
Meu corpo vazio
Já está meio frio!

Está escuro! É o temor!


(Mariavaicomasoutras)

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

#analogias

Na área das analogias
Há coisas pra esclarecer
As coisas são como são
E como as queremos ver.
Tomando em conta a ciência
Fossem o ódio e o amor massas,
Diríamos de qualquer forma
Que então nada se perde ou cria
E na regra da conservação
Apenas tudo se transforma.
Mais o amor em ódio
Do que o ódio em amor
Nas regras daquela norma.
Mas se as massas são outras
É com o passar do tempo
Que o nosso ver as deforma!


(Mariavaicomasoutras)